O nosso blog

Artigos

Mercados digitais: é assim tão importante ter presença online?

Há já alguns anos que a resposta a essa pergunta é relativamente fácil de dar. No entanto, os efeitos da pandemia que se fazem sentir desde março de 2020 aceleraram o processo de transição das empresas para o universo digital. Se antes do Covid-19 era relativamente aceitável – apesar de pouco recomendável – não ter um site ou não marcar presença nas redes sociais, hoje em dia essa opção quase nem se coloca.

Todos os negócios foram obrigados a mudar ou repensar a sua estratégia quando os consumidores se viram subitamente afastados das plataformas tradicionais de consumo. Independentemente do produto ou serviço oferecido, ao balcão físico não restou alternativa a não ser transformar-se rapidamente em virtual, uma vez que o palco onde grande parte das transações se fazem neste momento é 100% digital.

Estatísticas indicam que cerca de 51% dos utilizadores de smartphones descobrem um novo produto ou uma nova marca enquanto utilizam o equipamento.

A tendência não é recente: antes de tomar qualquer decisão, a jornada do consumo começa com a fase da pesquisa, feita cada vez mais online. Desde a comparação de preços até à recolha de opiniões, passando ainda pela análise da concorrência. Entre a necessidade do cliente e o ato da compra existe um vasto universo de informação. É portanto essencial saber como conseguir destacar-se nesse oceano, como um farol que atrai para si todas as atenções ao sinalizar a chegada a bom porto.

Ganhe visibilidade nas Redes Sociais e Motores de Busca

O velho mito de que a venda online acontece apenas no canal B2C (Business-to-Consumer) tem vindo a ser desconstruído, uma vez que o volume de negócios gerado por vendas B2B (Business-to-Business) é, também ele, cada vez maior. Grande demais para que a presença online possa ser descurada por parte das empresas que operam principalmente neste terreno.

Ainda precisa de mais motivos para perceber a importância de marcar a sua presença no universo digital? Mais do que um, vamos deixar-lhe com seis:

  1. Estar presente é estar visível. E estar visível é dar-se a conhecer, especialmente num mundo tecnológico onde a existência física se consolida cada vez mais dentro de um ecrã, num meio virtual extremamente fluido onde os limites são particularmente flexíveis. 
  2. Estar online é ficar mais perto. E ficar mais perto é encurtar a ligação entre o seu negócio e o consumidor final, ultrapassando algumas das barreiras geográficas que o comércio tradicional representa.
  3. Estar na internet é criar impacto. E criar impacto é captar a atenção do cliente, fazendo com que a primeira impressão que este tem da sua empresa seja extremamente positiva sendo esse um fator determinante para a construção de uma relação duradoura. 
  4. Ter presença digital é evitar intermediários. E evitar intermediários é garantir que a mensagem chegue diretamente ao consumidor, em vez de passar pela aprovação de terceiros, como é o caso da publicidade paga em meios de comunicação tradicionais. 
  5. Estar nas redes sociais é ter um canal de comunicação direta. E esse canal de comunicação permite estabelecer um diálogo direto com os seus clientes, seja para assistência pós-venda, esclarecimento de dúvidas ou para obter feedback em relação ao seu produto e/ou serviço, o que lhe permite analisar resultados em tempo real.
  6. Estar online é estar permanentemente atualizado. E estar atualizado significa que o consumidor tem acesso imediato a todas as novidades e que a montra do seu negócio, para além de não ter limite para o inventário, está também em constante expansão e evolução.

Para além de todos estes fatores, apostar na presença digital da sua empresa é devolver ao cliente o prazer da descoberta. O que quer isto dizer?

Que as antigas técnicas de marketing tradicionais em que a marca “impunha” a sua existência ao cliente através da publicidade já não são tão eficazes. Hoje em dia, graças à extensa pesquisa que é feita antes da compra, a probabilidade do consumidor encontrar e escolher o seu negócio é maior porque, de alguma maneira, o controlo da compra é devolvido ao cliente. Pensemos desta maneira: a publicidade tradicional “empurra” a venda para o cliente. As estratégias de marketing digital “puxam” a atenção do cliente para a marca. E os padrões de consumo, que passam cada vez mais pela compra online, refletem essa preferência.

Por fim, e da perspetiva da sua marca, é importante lembrar que ter um site e redes sociais otimizadas de acordo com uma estratégia de marketing digital feita à sua medida assegura que a narrativa é inteiramente controlada por si. A mensagem chega ao consumidor sem distorções, tal como uma conversa entre duas pessoas: cara-a-cara. Neste caso, clique-a-clique.

Descubra tudo o que a Reativa pode fazer pelo seu negócio. Contacte-nos agencia@reativa.pt

Reativa